Blog Seagro

Entrevista realizada no dia 07 de março de 2012 para o blog Seagro, o Engenheiro Eduardo Paulo Pancini fala um pouco sobre os 17 anos da Empresa.

Olá Eduardo. Para iniciar, gostaria de saber quem é Eduardo Paulo Pancini e qual o seu papel na Seagro?

Sou engenheiro civil de formação, completando 30 anos em 2012. Hoje eu procuro acompanhar o dia a dia das atividades do grupo, envolvendo-me com algumas negociações específicas e procurando manter os olhos para um futuro de dois ou três a anos com o objetivo de nos preparar técnica e comercialmente.

Como você descobriu esse mercado e porque o considerou uma oportunidade de negócio?

Logo após formar-me engenheiro já fui convidado a trabalhar no segmento da impermeabilização convencional para a Construção Civil. Tive empresa em São Paulo e trabalhei por dois anos na Viapol Impermeabilizantes, onde tive oportunidade de viajar por todo o país e inclusive conhecer o mercado americano de coberturas, que engloba a impermeabilização. Lá eu conheci os geossintéticos e vislumbrei o potencial do futuro mercado brasileiro. Já no meu retorno ao país eu comecei a montar a estratégia de trabalhar neste segmento.

Eduardo, você se lembra do primeiro grande negócio fechado pela Seagro? Me fale um pouco dele.

Na construção civil foi uma obra de impermeabilização de um Shopping Center na região metropolitana de São Paulo. Foi difícil conquistar a credibilidade do cliente na fase da contratação mas fizemos um serviço com qualidade e superamos, inclusive, adversidades técnicas produzidas pelo ainda constante desconhecimento da maioria dos nossos engenheiros e arquitetos sobre o tema impermeabilização.
No segmento da impermeabilização voltada à proteção ambiental minha lembrança sempre será, e minha gratidão também, ao Sr. Renato Trescenti da Lwart Celulose que deu a mim, a oportunidade da primeira instalação de geomembranas em uma lagoa de deposição de efluentes.

Sempre que estive na Empresa percebo um clima muito amigável e descontraído, por outro lado você parece ser um cobrador implacável, que exige resultados. Como é seu jeito de cobrar?

Valorizamos muito o ambiente interno e o relacionamento entre todos. Mas, implacável? Não acredito. Creio que até abuso do paternalismo. Melhor que esta resposta fosse dada pelos meus colaboradores mas estou sempre tentando mostrar-lhes que implacável mesmo é o mercado. Se formos falhos em atender nossos clientes, não teremos como nos manter vivos.

Que características você valoriza em um funcionário e o que o desabona?

Sem dúvida, a fidelidade! Estou sempre preparado para suportar os problemas do dia a dia, as falhas naturais que surgem de nossas personalidades individuais. Tenho pessoas que estão comigo há 16 anos e algumas que, mesmo trabalhando hoje em outros locais, são propagadores de uma boa imagem nossa. Isto é motivo de orgulho para mim.

Nesses 17 anos, que desafios a Seagro já superou?

As maiores adversidades vieram próprio mercado que desconhece, ou faz desconhecer, os riscos da contratação de mão-de-obra desqualificada. Somos uma empresa de engenharia que não tem amparo do CREA como órgão fiscalizador e sofremos com uma competição que eu classifico como desleal.

Como você vê o futuro desse mercado?

Vejo um futuro muito promissor, inclusive porque começa a se formar no Brasil a mentalidade de qualidade nas instalações de geomembranas que já existe países até da América Latina (Chile e Peru). Promissor não apenas porque o volume previsto para os próximos anos é muito grande mas porque esta qualidade que tanto almejamos está sendo criada no mercado brasileiro.

Qual a projeção da marca Seagro para 2012? Alguma novidade?

O crescimento da marca Seagro está sendo contínuo. Para 2012, pretendemos intensificar a divulgação favorecendo nossos clientes obterem informações atualizadas sobre as empresas do grupo Seagro nas mídias sociais e pelo site.  Também conteremos com mais uma marca que será agregada ao grupo: a Mytri, mas ainda estamos em fase de recrutamento e seleção de novos colaboradores que está sendo realizado pela Empresa Lestra consultoria.

 

Por Emerson Demarchi.

 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *